Brother AX-525 Word Processing Typewriter

As máquinas de escrever eletrônicas com processador do Word (Word Processor) incorporado foram populares nos Estados Unidos e outros países do globo nas décadas de 1970 e 1980. No Brasil, não chegaram a popularizar, mas podiam ser encontradas em escritórios Continue reading

Unitron Apple II

Mais um micro de 8 bits entrou para minha coleção: Unitron Ap II

Minha coleção de computadores antigos ganhou mais um integrante: Unitron Ap II.

Unitron Apple II

 

 

Havia me deparado com um Unitron Ap II não faz muito tempo, até cheguei a postar uma foto e falar um pouco sobre ele neste link. Porém, o modelo que peguei não tem teclado inteligente, em razão de ser o primeiro modelo lançado.

Infelizmente chegou com a tampa de acrílico quebrada. Os Correios não têm cuidado algum com as encomendas e a pessoa que me vendeu não embalou adequadamente.

 

 

Unitron Ap II - tampa quebrada

Como disse no post anterior, esse modelo é compatível com a linha de microcomputadores Apple II, fabricado pela empresa brasileira Unitron na década de 1980. Acredito que tenha sido o micro mais popular entre os compatíveis do Apple II que eram fabricados no Brasil.

Revisitando um pouco meus posts anteriores, para quem me lê sem noção do que representou a linha de microcomputadores Apple II na evolução tecnológica dos computadores, pode-se dizer que foi o primeiro computador pessoal de sucesso do mundo, cujas primeiras unidades foram fabricadas na garagem da casa dos pais de Steve Jobs, no ano de 1977.

Naquela época (final da década de 1970), existiam outros micros concorrentes, como o Commodore Pet, mas o Apple II superou todos porque tinha uma capacidade incrível de expansão, além do fato de ter um drive de disquetes projetado especialmente para o micro (Disk II), em idos tempos da utilização de fitas cassetes para o armazenamento de dados.

Commodore Pet

Commodore Pet

 

Em comparação com os E.U.A. e outros países, o Brasil estava com uma defasagem de alguns anos do que era novidade lá fora. Para se ter uma ideia, quando o Unitron Ap II e outros micros de 8 bits decolaram no Brasil, a então Apple Computers Inc. já havia lançado o Macintosh e a IBM sua linha de computadores pessoais. Essas duas linhas de microcomputadores somente viriam a habitar o lares domésticos brasileiros no final da década de 1980, início na década de 1990, ainda assim na mão de poucos privilegiados, situação que somente viria a  ser modificada com o final da reserva de mercado no Brasil.

Interface de joystic p/ Apple II

Interface de joystick para Apple II

Eu sempre preferi jogar os games no Apple II com o próprio teclado do micro. Lembro que era muito ruim calibrar os eixos x e y do joystick, fora que eu achava os controles de péssima qualidade, quebravam facilmente …

Se na época em que o Apple II reinava já era difícil encontrar joysticks para ele no Brasil, hoje em dia é tarefa hercúlea. Pensando em atender os amantes da lendária linha Apple II, o Eduardo Luccas desenvolveu uma interface de joystic, por meio da qual é possível utilizar controles do atari, snes, master system, mega drive etc. Comprei uma do Luccas, mas ainda não tive de tempo de testá-la.

Fotos da interface:

 

Interface de joystic p/ Apple II

Interface de joystic p/ Apple II

Interface de joystic p/ Apple II

 

E como disse acima, o joystick sempre foi um periférico difícil de se encontrar para os Apples II e outros micros de 8 bits nacionais. Lendo no meu tablet a edição de n.16 da Revista Micro Sistemas (jan/1983), um leitor enviou a seguinte carta: “Gostaria de saber como adquirir um par de joystick compatível com o CP-500 da Prologica”. A resposta da revista foi a seguinte: “A Prologica e diversos revendedores de periféricos afirmaram que ainda não existe este equipamento, de fabricação nacional e compatível com o CP-500, no mercado”.

O CP-500 era um micro compatível com a linha TRS-80, concorrente dos Apples II compatíveis que eram fabricados na década de 1980 no Brasil.

Vídeo de demonstração do funcionamento:

 

Transferência de imagem de disco do PC p/ o Apple II por meio do canal de áudio

Vídeo que demonstra a transferência de imagem de disco do PC (moderno) p/ o Apple II (antigo), por meio do Continue reading

Apple Master

Mais um Apple II compatível entrou para minha coleção: Apple Master

Apple Master

O micro da foto é um Apple II Plus compatível, recente aquisição que fiz para integrar minha coleção. É um exemplar intrigante porque veio com uma etiqueta colada: Apple Master.

Não sei quem é o fabricante. É muito parecido com um micro que era fabricado por uma empresa asiática chamada UNITRON (não se trata da empresa brasileira).

Fato é que ele tem um teclado inteligente e está funcionando perfeitamente, salvo um pequeno acidente.

Veio acompanhado de um monitor Videocompo de fósforo verde e dois drives de 5 1/4″, um deles lacrado, nunca havia sido utilizado !!!

Infelizmente, quando fui ligar o drive zerado começou a sair fumaça, momento em que desliguei rapidamente o micro.

Drive de 5 1/4" p/ Apple II (zerado)

Verifiquei que uma das trilhas da placa controladora foi danificada. No caso do drive, acredito que um capacitor tenha vazado, pois se trata de uma peça muito antiga.

Substituí por outra controladora e conectei o outro drive. O software que está sendo executado na foto (Datalife) serve para testar o funcionamento dos drives.

Saudações, Rodrigo – evoltecno

Tandy 102: um portátil com história

Tandy 102

Tandy 102 – integra a coleção do autor do Blog

O Tandy 102 foi fabricado no Japão pela Kyocera na década de 1980, e pertencia a linha de computadores TRS-80, muito copiada no Brasil por empresas nacionais como a Prológica, fabricante da famosa linha “CP” de microcomputadores (CP 200, 300, 400, 500 etc). Trata-se de um computador portátil bem avançado para aquela época, que apresenta um visor LCD monocromático com tamanho reduzido e modem embutido (300 baud), este com velocidade de transmissão de informações ínfima se comparada às atuais que podem chegar a atingir 100 Mbps, e insuficiente para navegar pela atual rede mundial de computadores. Todos os programas da ROM foram escritos pela Microsoft, alguns deles pelo próprio Bill Gates! Esses programas incluíam uma versão da linguagem BASIC, editor de texto e um programa de telecomunicações. O Tandy 102 opera a 3 MHz de velocidade e tem 24 Kb de RAM (expansível até 32 Kb), sendo que a ROM ocupa parte dessa memória, podendo ser ligado a uma unidade externa de disco de 5 ¼” ou  3.5”. Os computadores portáteis atuais operam em velocidades bem superiores e possuem múltiplos núcleos de processamento, além de contarem com a possibilidade de expansão da RAM que pode ultrapassar a barreira dos 24.000.000 Kb! Funciona com 4 pilhas alcalinas pequenas AA ou ligado à energia elétrica por meio de uma fonte DC. Além do curioso fato de alguns programas terem sido escritos pelo próprio Bill Gates (antes de se tornar exclusivamente empresário), o CPU do Tandy 102 (Intel 80c85) foi utilizado na primeira missão espacial ao planeta Marte que incluiu um veículo robótico de exploração (Mars Pathfinder).

 

Mars Pathfinder

Mars Pathfinder

Drive de disquete para MSX

Drive de disquete para MSX – interface MAX 400 e DMX

Com esse equipamento das fotos, consigo rodar programas em disquete de 5 1/4″ nos meus Hotbits da Sharp e Expert da Gradiente.

 

MAX 400 MSX

 

Encaixo a interface MAX 400 MSX na entrada de cartuchos do micro, o cabo flat dela nos drives e os cabos de força do módulo DMX nestes.

O micro inicia pronto para receber os comandos de operação da interface de drive.

 

Drive de disquete para MSX

Parte I da coleção de computadores antigos de evoltecno – www.evolucaotecnologica.com.br

Parte da coleção de microcomputadores antigos do autor do Blog Evolução Tecnológica – www.evolucaotecnologica.com.br: Apple IIe, TK 3000 IIe Compact, Continue reading

Cartuchos CP 400 Kb

Garimpei algumas raridades

Visitando uma antiga loja em SP, reduto de colecionadores, encontrei algumas raridades que passaram a integrar minha coleção de microcomputadores antigos. O mais incrível é que todos os itens têm quase 30 anos de idade e estão lacrados!

Itens coleção

Da esquerda para direita: cartucho “Editor” do CP 400, placa CPM da Dismac (compatível com Apple II) e cartucho “Tênis” do CP400. Logo abaixo, caixa de disquete de 5 1/4″ da Fujifilm.

O CP 400 é um microcomputador de 8 bits que foi fabricado pela empresa Prológica na década de 1980, em plena reserva de mercado no Brasil. Ele funciona com cartuchos, como o MSX e o Atari 400/800, mas também pode rodar programas em fita cassete ou disquete de 5 1/4″, desde que conectado a um gravador de fita cassete ou unidade de disco removível compatível (drive), respectivamente, periféricos vendidos à parte naquela época. O cartucho da esquerda é um aplicativo chamado “Editor” e o da direita um game de tênis.

Cartuchos CP 400

O cartucho “Tênis” tem apenas 4 Kb, mais ou menos a capacidade de um cartucho do videogame Atari 2600, e o cartucho “Editor” tem 8 Kb. É claro que não dava para fazer muita coisa com essa quantidade de memória, os gráficos eram bem simples e os programas limitados, mas era o que existia na época e fazia a alegria de muita gente.

Cartuchos CP 400 Kb

A Prológica fabricava outros micros dessa linha CP (Computador Pessoal), o mais simples era o CP 200 e o mais sofisticado o CP 500.

Cartucho da Prológica

A DISMAC, empresa brasileira conhecida por fabricar calculadoras, fabricava um Apple II compatível na década de 1980 e a placa CPM da foto servia para permitir a execução do sistema operacional CP/M, necessário para rodar o programa WordStar (processador de  texto que precedeu o Word), por exemplo.

Alguns disquetes de 5 1/4″ costumavam ser comercializados em um estojo de acrílico, é o caso dessa caixa de disquetes da Fujifilm. Os disquetes da foto são de alta densidade (HD – High Density) e por esse motivo não funcionam em drives do Apple II e de outros micros de 8 bits. Esses disquetes eram utilizados com os PC IBM e compatíveis, em modelos como o XT, AT 286/386/486 … no Brasil já estávamos na década de 1990, em que os micros como o Apple II já haviam perdido espaço para os novos PCs …

Caixa disquete 5 1/4 Fujifilm